top of page

APN: Fellowship de Pesquisa em Grupo de Trabalho Colaborativo 2024

Atualizado: 11 de fev.



Chamada para a Rede Africana de Consolidação da Paz: Bolsas de Pesquisa para Grupos de Trabalho Colaborativo já estão abertas!

Académicos e investigadores africanos seniores que trabalham em universidades, centros de formação e organizações políticas são incentivados a candidatar-se a cargos como líderes de projetos na Rede Africana de Consolidação da Paz (APN), um programa do Conselho de Investigação em Ciências Sociais (SSRC). O objectivo dos projectos é desenvolver e disseminar conhecimentos sobre conflitos e construção da paz no continente.


Uma adição vital aos aspectos de campo e de rede dos programas da APN é a Bolsa de Pesquisa do Grupo de Trabalho Colaborativo. Esta bolsa aborda a necessidade de intensa cooperação e envolvimento entre investigadores e profissionais nas dificuldades associadas à construção da paz em África. Além disso, visa ligar a investigação e a política, incentivar a orientação de académicos mais jovens por pares mais experientes, promover a ligação em rede entre académicos e profissionais baseados em pelo menos três países africanos e aumentar a probabilidade de o processo de produção de conhecimento ter um impacto nas políticas. e ações.


Espera-se que as informações e publicações baseadas em investigação de grupos de trabalho colaborativos sejam pertinentes e tenham uma influência substancial nos estudos, nas políticas e nas práticas relacionadas com a construção da paz no continente. A APN procurará incorporar o conhecimento baseado em evidências que este grupo multinacional e multidisciplinar cria nas discussões, práticas e políticas locais, nacionais e internacionais relacionadas com a construção da paz nesta secção. O grupo de trabalho receberá financiamento da APN enquanto conduz pesquisas novas e relevantes em termos de políticas sobre a criação, execução e efeitos de mecanismos e procedimentos de construção da paz em países e sub-regiões africanas.


Novas pesquisas de campo, iniciativas de formação, revisões de literatura, a criação e divulgação de uma variedade de resultados – desde briefings e relatórios políticos até modelos de melhores práticas – bem como publicações académicas em meios de comunicação impressos e electrónicos devem ser todos apoiados com financiamento. Ao final do projeto, espera-se que o grupo de trabalho crie um manuscrito do tamanho de um livro.



Está disponível apoio para pesquisas, convocação de reuniões entre acadêmicos e profissionais e análise de questões como as seguintes:

  • Culturas, mecanismos e práticas locais de construção da paz;

  • Desigualdade, pobreza e conflito de recursos naturais;

  • Cooperação ONU-UA-Comunidades Económicas Regionais Africanas (CER) em questões de paz e segurança;

  • Arquitectura de Governação Africana (AGA) e Arquitectura Africana de Paz e Segurança (APSA);

  • Governação, paz, segurança e desenvolvimento;

  • Mulheres, paz e segurança;

  • Transnacionalização, migração, radicalização juvenil, extremismo e violência;

  • Mudanças climáticas, paz e segurança;

  • Sistemas de Alerta Precoce e Resposta; e

  • Mecanismos, processos e práticas de mediação de conflitos

  • Institucionalizando a construção da paz: Processos e mecanismos locais, nacionais e regionais.


Benefícios

Uma bolsa de pesquisa do Grupo de Trabalho Colaborativo da APN será apoiada por um prêmio máximo de US$ 60.000 por um período de dezoito meses.


Elegibilidades

Os candidatos devem ser académicos ou profissionais baseados em África e o investigador principal deve ser professor catedrático e estar baseado numa universidade africana (e possuir um doutoramento).

O concurso estará aberto a equipas conjuntas de investigadores e profissionais (de seis membros) compostas por africanos baseados ou afiliados a universidades; organizações regionais; agências governamentais; ou organizações não governamentais, da mídia ou da sociedade civil localizadas em pelo menos três países do continente.

Embora o investigador principal deva ser professor e ter doutorado, outros membros do grupo de pesquisa podem ser acadêmicos em início e meio de carreira, ou profissionais, dos quais se espera que possuam pelo menos um título de mestre com dois ou mais anos de experiência profissional.


Espera-se que as equipas reflitam a diversidade tanto quanto possível e incluam indivíduos de diversas origens e experiências profissionais, institucionais, nacionais, regionais, disciplinares, de género e geracionais.

O projeto também deve alavancar fortes relações de mentoria entre membros seniores e juniores da equipa, incentivando ao mesmo tempo a participação académica e profissional, bem como o envolvimento com universidades e instituições profissionais/políticas regionais.




Prazo para inscrição: 11 de Fevereiro de 2024

Países da CPLP elegíveis para esta oportunidade:

Angola, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

Para mais oportunidades como esta, faça parte do nosso grupo do whatsaap através do seguinte link: https://bit.ly/3QVkCsm

Recebas as oportunidades por email: https://bit.ly/4188LL6 

Visite o site oficial em: www.oportunidadescplp.info/ 

Ou Siga-nos também pelo:




21 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page